segunda-feira, 20 de julho de 2009

Leviandade.

Sou leve, leviano.
Em forma, cor e som
Em incorporação
Da mente que sente
A breve brisa passante.

Navego por imagens rasas.
Deturpo, perturbo e entorpeço
O endereço do que sinto
E não sinto peso.

Pois sou leve, leviano.

7 comentários:

Cris de Souza disse...

" Livre, leve e solto..."

Cris de Souza disse...

Feito pluma da minha asa !

The human who sold the world disse...

Imagens rasas tem cores?

Vanuci Watson disse...

será que você não é um feliz incompreendido?

Hugo Ferrier disse...

Leve, leviano...hahah...gostei da brincadeira!

abraços.

http://tutarimbas.blogspot.com

Henrique disse...

ARRASOU!

Raquel disse...

"leve, como leve pluma muito leve, leve pousa. muito leve, leve pousa"

muito agradável. já disse, né?